Nossa cidade é uma estância turística - Coluna do PJ
  • Breaking News

    Nossa cidade é uma estância turística

    Livraria Evangélica - Espaço Gospel

    Olá meus amigos, tudo bem com vocês?

    Pra quem não sabe, nossa cidade a pouco tempo passou a ser uma estância turística. (Se você não sabe o que é uma estância turística clique aqui.)

    E no embalo dessa classificação do nosso município, eu participei de uma palestra de sustentabilidade com o incrível Augusto Cury, mentira!!! Não é o Augusto Cury, a palestra foi com o Marcelo Cury, e não me pergunte se são parentes.
    E nessa palestra eu aprendi várias coisas sobre o que é uma estância turística e suas obrigações, vantagens e desvantagens. E dentre as obrigações foi entendido que uma estância turística deve manter um padrão de limpeza e saneamento básico agradáveis.

    Nas vantagens, temos uma verba federal fixa, especialmente para essa área, não devemos ter lixão e temos o privilégio de mandar nosso lixo para outra cidade.
    Agora a desvantagem. Se não cumprirmos tais recomendações exigidas por lei, perdemos o benefício da verba federal, podemos ser desclassificados da categoria de estância turística e pelo que vejo, não melhoramos em nada na questão de limpeza e saneamento.

    Raciocine comigo. A limpeza, organização, pintura e maquiamento está apenas nas principais avenidas e no centro da cidade, estou mentindo?
    Continuando a passar a navalha. Vou destacar pontos que decepcionam a cidade por estar classificada com tal.

    Igarapés - Muito triste ver uma estância turística com igarapés tão poluídos, que cortam nossa cidade de fora a fora e estão em todos os bairros. Vemos lixo, despejo de dejetos, carniça, banheiros despejados nos córregos. Mas nesse caso precisamos entender os dois lados.
    Fiscalização: Isso deveria ser examinado imediatamente e gerar multa para a casa que não regularizasse o seu despejo de esgoto e lixo nos igarapés.
    Comunidade: Deveriam cobrar uma atenção especial das autoridades sobre recolhimento de lixo, com pelo menos 2 caminhões, pois o compactador não leva entulhos.

    Bairros afastados - Esquecidos pela prefeitura, passam eleições e mais eleições acreditando em promessas de melhoria, mas o tempo que a prefeitura passa maquiando o centro poderia muito bem investir nas periferias para uma infraestrutura completa da cidade. As pessoas de determinados bairros sofrem com máquinas trabalhando na época da seca e a poeira infernal que elas jogam pra dentro de casa, infelizmente aumentando casos de alergia. E quando resolvem mexer na época das chuvas, não terminam o serviço e a rua da casa do munícipe vira um verdadeiro pântano.
    Não cagam e nem saem da moita. Aí vem com a desculpa que não tem mão de obra suficiente para executar os trabalhos. Mas nossa cidade está cheia de trabalhadores, pais de família desempregados afim de trabalhar, basta a prefeitura tomar vergonha na cara e terceirizar firmas municipais que executem, junto com um engenheiro, os trabalhos necessários na cidade. Assim a cidade cresce e o trabalhador não precisa ir embora pra outra cidade atrás de emprego.
    Eu nasci e fui criado no bairro Setor Industrial, e desde quando eu morava lá eu ouvia promessas de asfaltamento e bloqueamento, e até hoje... NADA.
    {Acorda prefeitura! Vocês precisam de estratégia e não de mais fundos. Aprendam o que é fazer o dinheiro girar na sua cidade pra voltar pra vocês como impostos. Mais do que merecido quando o dinheiro é ganho com o emprego daqui.}

    Poluição - Pelo amor de Deus né. Tem épocas em Ouro Preto que não se vê o céu de tanta fumaça que tem aqui. As serrarias trabalhando no doze, outras empresas de não sei o que também exalando sua nuvem poluente, mas isso é perdoável, pois está gerando emprego pra população. Mas você, senhora dona de casa, ajunte seu lixo e coloque em um saco que o lixeiro passa de madrugada para pegar, se a senhora não sabe (kkkkk). Acho que existe uma lei que diz que não se pode mais queimar lixo dentro do perímetro urbano, mas essa lei não é respeitada porque os fiscais, ou não existem ou estão jogando playstation ao invés de estarem nas ruas procurando focos. Sem falar que a fumaça em si prejudica quem tem problemas respiratórios. Eu mesmo, tenho bronquite asmática e não consigo respirar na fumaça. Acho que ninguém consegue, não é? Outro problema que a fumaça causa é o cheiro, ou melhor, mau cheiro, conhecido também como fedor. Como disse um amigo meu em uma publicação no Facebook: - "O pior é quando queimam sacola de papel higiênico que deixa aquele cheio de merda queimada no ar". Pense comigo: Você está apé, de bicicleta ou de moto, indo para uma festa, ou uma reunião importante e está todo(a) cheiroso(a). De repente na sua frente uma nuvem gigante de fumaça pra você atravessar, e essa nuvem pegou a rua inteira, então são uns trinta metros de fumaça para você atravessar. Foi-se embora seu perfume e sua noite, ou dia, que seja. Então, você que ponha fogo em lixo, seja coerente com os pedestres e não coloque fogo nas folhas ou no lixo. E não adiante queimar dentro do quintal porque a fumaça, de alguma forma, pula o muro e a cerca e vai pra rua. E para uma estância turística fica feio ter o céu ou as ruas todas cobertas de fumaça. Comprem sacos bag para ajudar você a jogar seu lixo fora. Se você não sabe o que são sacos bag, é isso na imagem abaixo. Obrigado, de nada.



    Acessos à cidade - É até simples de comentar isso, eu poderia deixar de lado, mas não. Vou comentar aqui também sobre isso. Temos uma linha vicinal, a 4, que liga Ouro Preto à linha 31, chamamos de "4 do 31". A linha 31 é uma rodovia que faz ligação ao município de Teixeirópolis. Uma linha importante, porque também nos aproxima da BR-364 com destino a Ji-Paraná. Mas é uma linha pouco cuidada e muito importante para o acesso dos texanos à nossa cidade. O asfaltamento dela evitaria o contorno que é feito pelo povo das cidades citadas para chegar em Ouro Preto, fazendo ligação direta com o Jardim Aeroporto, valorizando esse bairro que é o maior da cidade.
    Outra linha que facilita o acesso, evitando o contorno desnecessário usado atualmente, é aquela que sai lá no Zé trovão, e dá acesso ao Jardim Aeroporto também, o que encurtaria a entrada na cidade para quem vem pela BR-364 e valorizaria o bairro Jardim Aeroporto.

    O principal de tudo vem agora.
    Uma estância turística deve ter pontos turísticos, uma cultura valorizada, artesanato e eventos culturais ou gerais. Mas onde estão?

    Pontos turísticos - Não vou negar. Temos o Parque Chico Mendes, temos o Vale das Cachoeiras, o Graúna Resort Hotel, o Ouro Park Hotel, temos clubes (toda cidade tem). Porém, apenas subir no morro Chico Mendes e olhar a vista não é turismo, chegar aqui e pagar caro para entrar nos resorts e hotéis fazenda não é turismo. Na minha opinião isso é diversão. Turismo mesmo é você conhecer o lugar e sua história. (Se alguém da secretaria de turismo quiser ouvir minhas ideias, entre em contato comigo. Estou cheio delas.)
    Antigamente Ouro Preto recebia grandes eventos, a nível latino-americano, de parapentismo e motocross, mas hoje não recebemos mais. Será que é porque o prefeito e seus filhos não participam mais??

    Nossa cidade precisa incentivar o artesanato local, criar feiras artesanais nas escolas, nos barracões e comunidades, e principalmente na praça da liberdade.
    Eitah, Praça da Liberdade, quase ia me esquecendo de você. Praça que recebia vários eventos por ano. Recebia o maior Reveillon do estado, onde vinham pessoas de todas as partes do país. Quem é que nunca ouviu falar que umas das praças mais bonitas da região norte ficava na nossa cidade? A praça mais bonita do estado de Rondônia.
    Sim, um dia ela foi. Hoje continua bonita só por foto ou imagem aérea, e bem de longe. Se você frequenta ela você vê o quão acabadinha ela está. Os peixes só não foram embora porque não tem pernas, e porque ainda ganham comida de graça. Aqueles tanques nunca foram lavados, mas já foram muito lindos.
    Ela tem tudo para retomar o posto que tinha antigamente, basta o interesse da prefeitura.

    Se vocês perceberem, tudo que queremos mudar na nossa cidade passa pela responsabilidade da prefeitura, mas nós temos que aprender a abrir a boca e cobrar das pessoas que colocamos no poder. Ser cidadão não é apenas votar, mas cobrar dos que foram eleitos. Nós somos os olhos abertos que alertam o problema, os legislativos e o executivo são os que trazem a melhoria. Se não cobramos é porque não há problema. Mas aí eu te pergunto: - Tem algum problema na nossa cidade que você gostaria que fosse resolvido?
    Então abra sua boca, compartilhe essa postagem e faça sua voz e seu voto valerem a pena. Não pedimos o título de estância, mas já que ganhamos, vamos fazer valer a pena e ser a melhor estância turística possível.

    Comente o que você achou, o que precisa melhorar, se você sabe de outro problema da nossa cidade que nos prejudica nessa classificação ou um problema que acontece no seu bairro.

    Nenhum comentário

    Sua opinião