Insegurança

E aí galera.
Como vai?.. Tudo bem?..

Vocês por acaso não foram furtados ou assaltados por esses dias não, né?

Então. Eu já não posso dizer a mesma coisa.


A alguns dias eu estava trabalhando normalmente com minhas locuções em porta de loja, pra poder fazer aquela renda extra do mês. Eu havia estacionado minha querida bicicleta a uns cinco (5) metros de onde eu estava, e a todo momento eu falava sobre as promoções da loja e olhava pra minha querida bicicleta, uma TOTEM branca, pra ver se estava tudo bem.

Me ausentei por alguns segundos para poder beber água, quando voltei para a porta ela havia sumido.
No ato não fiquei abalado. Olhei para os lados, fui a esquina. Pensei em todas as alternativas cabíveis. Quando dei por fé que realmente tinha sido furtada meu semblante descaiu.

Assista o meu desabafo no vídeo abaixo:



Dias após minha querida Bernadete ter sido raptada, fiquei sabendo que roubaram a moto do irmão de uma amiga minha, e logo em seguida fiquei sabendo que roubaram o carro de um amigo de outro amigo meu.

Ainda sofrendo as dores da saudade de minha bike, uma semana após ela ter sido roubada, eu estava no meu trabalho de saída para um evento da cidade e fico sabendo pelo WhatsApp que haviam roubado o celular e as chaves da casa de uma amigona minha naquele exato momento.

Pensei em todas as possibilidades: Um assalto com dois caras em uma moto, toca ninja e um 38 com numeração raspada, com toda aquela cena de "passa tudo que tem". Fiquei preocupado com minha amiga e fui falar com ela, ver como estava, se tava machucada e tal... Coisas de amigo preocupado.

Me surpreendi quando ela disse como foi o assalto.

Ela disse que "estava indo caminhando sentido ao bosque, com o celular em sua mão, quando um filho da puta, fdp, corno, viado vagabundo, trouxa, babaca, fi do cão, desgraçado indivíduo em uma possível CB 300 roubada, desarmado, camisa branca roubada de algum varal, tênis caro roubado, passou por ela, deu meia volta em um poste e pegou o celular e a chave de sua mão e empreendeu fuga do local.

O que mais me fascina nessa situação da minha amiga é a tranquilidade com que o bandido agiu, porque pelo que eu percebi ele não desceu da moto pra praticar o roubo. E ainda nos ensina a velha lição de que "todo cuidado é pouco".

Mas falando sério agora minha gente.
Onde está nossa liberdade de poder sair sem ter medo de perder aquilo que conquistamos com nosso suor?

Se você parar pra pensar, você vai perceber que os bandidos estão cada vez mais sem medo de praticar seus crimes. Mas porque?

Porque sabem que se forem presos vão ter mordomia lá dentro, comida boa, lugar pra dormir e logo vão sair. 

Sair pra que? .. Pra viver diferente? .. Para se reabilitar?

NÃO. Mas sim pra praticarem mais roubos.

E de que valeu seu tempo na cadeia? .. MEEEERDDAAAAA NENHUMAAAA!

Lembram do rapaz que teve tatuado na testa "Sou ladrão e vacilão"?
Me lembro que teve uma mobilização pra conseguirem uma quantia em dinheiro pra retirarem aquela tatuagem. Mas alguém se mobiliza pra ajudar a família que teve o pai morto por um assaltante?.. Existe mobilização pra recuperar o carro da pessoa que sonhou, lutou e o conquistou?
Alguém vai se mobilizar pra comprar uma nova bicicleta pra mim ou um celular pra minha amiga?

Os valores estão invertidos.

Precisamos de lideres que coloquem leis que deixem os ladrões com medo de serem presos. Que façam das cadeias um lugar onde eles realmente repensem em seus atos. Não uma colônia de férias pra bandido.

Será que temos que cobrar da polícia?.. ou da administração da nossa cidade?

De quem temos que cobrar algo?

Ninguém sabe!
Ficamos sem saber a quem buscar alternativas, a quem exigir o direito de ir e vir e o direito de estar.

E quando reagimos a um assalto?
Se dermos azar, morremos.
Se dermos sorte, matamos o assaltante, porém, vamos presos por causa dos direitos humanos.
Será que isso é sorte mesmo?

E como assim direitos humanos?.. e os meus direitos? ...

Meu amigo, o mundo está estranho. O mundo está insano.


Se lembra do caso da imagem acima?
Vou lembrar você rapidinho...

Esse cidadão aí assaltou uma pessoa e sua moto, e a pessoa estava filmando tudo por uma câmera gopro no capacete. Antes de conseguir fugir, um PM que passava por ali matou o indivíduo.

Detalhe: Fiquei sabendo por fontes da mídia que o PM que matou o bandido teve que pagar cesta básica para a família do bandido morto.

Você acredita nisso?

Onde está a razão nisso?.. Houve justiça aí?

Desculpa pessoa. Não vou comentar porque isso me dá um bug no cérebro.

Enquanto isso, nós que trabalhamos pra viver justamente, honestamente, somos prisioneiros do medo, da criminalidade, da falta de segurança.
Hoje não podemos mais ficar em frente de casa sem o medo de ser assaltado, não podemos voltar tranquilamente pra casa após um dia cansativo de trabalho sem o medo de perder o celular ou até mesmo a vida.

Paulo disse que "somos entregues a morte todo dia por amor de Cristo".

Mas o crime não respeita cor, raça, religião, crença, classe social.

A frase que reflete nosso dia a dia é que "somos entregues a morte todo dia para podermos viver".

O medo da criminalidade não nos permite nem viver, apenas sobreviver.
Temos medo de sair com nossos filhos para tomar um sorvete, sair com a família para um dia no bosque, pois quando não nos assaltam eles roubam nossas casas.

Logo Ouro Preto do Oeste que era tão pacata, calma. Não víamos isso aqui.

Creio que com o aumento do consumo de drogas na cidade, com essa modinha destrutiva rodando pela nossa cidade, os viciados ficam mais agressivos com seus corpos alucinados querendo usar a maldita droga. E isso aumenta a taxa de roubo, pois eles roubam pra vender ou trocar em drogas.

Quer um exemplo financeiro pequeno perto do estrago que fazem:
Minha bicicleta custa hoje no mercado, cerca de R$ 1.200,00. No máximo, um drogado deve tê-la vendido por R$ 50,00 para poder consumir sua droga.

E você e eu, cidadão de bem, trabalhador, que paga seus impostos, que estava pagando seu bem parcelado pelo sonho de usufruir dele, tem-lo roubado por uma pessoa que talvez teve a mesma oportunidade que você, mas preferiu se entregar às suas fraquezas e cair no mundo da droga. Ou por um vagabundo qualquer que queira apenas lesar a vida das pessoas, tentando enriquecer no mundo do crime.

O destino desse tipo de pessoa, em algumas cidades que eu conheço, é o fundo dos rios como alimento para os peixes ou mesmo em cemitérios vestindo um paletó de madeira.

Somos entregues a sorte diária. Estamos vivendo a frase de Hamlet, com uma pequena palavra acrescentada: "Ser ou não ser 'assaltado'?, eis a questão."

Se você leu até aqui, deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Compartilhe nas redes sociais, curta nossa página no Facebook.

Se inscreva também no nosso canal no youtube.


COMPARTILHAR

Autor:

Blog independente que busca levar a público, com críticas particulares minhas, as necessidades, frustrações e situações da nossa querida Ouro Preto do Oeste/RO.

Anterior
Proxima