#1 Coisas a se pensar - Legalização da maconha



O nosso primeiro assunto já vem sido discutido a muito tempo. Algo que veio de nossos avós, passou pelos nossos pais e hoje chega a nós com uma cultura de entendimento muito ruim sobre o assunto.

Usada pelos índios e conhecida como cachimbo da paz. Adotada como marca registrada dos jamaicanos, tendo como ícone Bom Marley. Explorada medicinalmente pela ciência e banalizada pela sociedade. Você já deve ter percebido sobre o que vamos falar.
Tá bom, tá bom.

Também não sei pra que tanto drama pra anunciar que o assunto é sobre a MACONHA.
"Mas o que é de se pensar nisso, PJ?

Isso é uma droga. Não pode ser liberada."
Você deve estar se questionando assim.
Bom. Por ser droga não vejo problema.

O álcool e o cigarro também são e estão por aí livremente. E fazem um mal pior do que a maconha.

Aliás, você que frequenta muito a farmácia, saiba que os medicamentos que você compra também são drogas. Por isso precisam de prescrição médica e as farmácias são chamadas de drogarias.
Mas vamos botar a cuca pra funcionar.
Veja bem.

A maconha é uma fonte de lucro dos traficantes, e a sua venda a pequenos usuários fornecem uma boa parte do dinheiro que eles usam para adquirir armamento.

O efeito da maconha no organismo do usuário é de relaxamento, morgado, sonolência, larica, paz, entre outros efeitos. Diz-se que a maconha mata neurônios, mas como dizia Bob Marley: "Neurônios você tem milhões, pulmões você tem apenas dois."

A polícia perde tempo com usuários de maconha, buscando encontrar algo que leve ao traficante, e nisso outros crimes de maior importância acabam passando batido.

Com a liberação da maconha o poder do traficante cairá. Ao invés de irem comprar dele, cada um teria seu pé de maconha em casa e ele não levantaria uma boa parte do dinheiro para conseguir armas é outras drogas, pequenos furtos para a compra da droga acabariam, filhos não venderiam mais bens dos pais para comprar a droga. Talvez pelo crack e outras drogas sim, mas aí é outra história.

Usando a maconha em casa, os pais teriam mais controle sobre seus filhos. Entre outros benefícios.

Mas aí você pensa: "Mas cara, a cidade vai virar fumaça. Aquele cheiro é horrível. Vai incomodar muita gente. Não vai dar certo."

Calma brother. Olha só.

Para controlar o uso da maconha o governo poderia impor regras, como o uso limitado a locais não públicos. Poderiam usar a erva apenas em lugares privados, particulares, longe das ruas, da sociedade, respeitando o direito do cidadão e a ordem pública. O uso caseiro, em locais afastados onde não ofereça risco ao meio ambiente, ou até, quem sabe, locais criados pelo governo próprio para o consumo. E quem descumprisse a regra sofreria punições.

Seria, assim, uma discussão a menos pra sociedade, uma dor de cabeça a menos pra polícia e a felicidade dos usuários. Fazendo, assim, uma sociedade mais compreensível, pacífica e com espaço para tratar de problemas mais importantes do que este.
Pense bem. Esse assunto não é algo para se julgar sem pensar sobre.

É mais uma coisa a se pensar.

COMPARTILHAR

Autor:

Blog independente que busca levar a público, com críticas particulares minhas, as necessidades, frustrações e situações da nossa querida Ouro Preto do Oeste/RO.

Anterior
Proxima